Conto de todos os cantos: Tuca Boelsums


Tuca está sendo em uma cadeira, tocando violão e cantando. Ele usa uma blusa social aberta, calça marrom, sapatos sociais e uma boina.
Tuca em apresentação. Créditos: arquivo pessoal

Festivaleiro assíduo desde a década de 1970, o músico Tuca Boelsums possui uma longa carreira e, além de produzir trabalhos autorais, é professor e trabalha com educação musical em escolas rurais em municípios na região de Entre Rios de Minas/MG.


Nascido em Conselheiro Lafaiete, Tuca começou a se interessar pela música ainda criança na fazenda onde vivia. Sobre suas vivências e da paisagem sonora dos interiores, ele está lançando um álbum novo intitulado “Cantos Rurais”.


Abaixo é possível conferir a entrevista realizada pela arte-educadora Elis Ferreira com o artista e compreender a relação dele com a música. Siga a leitura!



Conte a sua história com a música: como você começou nesta atividade?

Comecei a me interessar pela música ainda muito pequeno. Na fazenda, ela estava presente em todos os "cantos": as folias, os aboios, o canto do trabalho e na natureza. Depois, fui estudar na cidade e ingressei num grupo musical que foi importante para minha formação artística.


Também participei de festivais da canção desde os anos 1970. Além disso, faço parte de um grupo de seresta há vinte anos, do qual tenho muito orgulho. E, hoje em dia, trabalho com educação musical nas escolas rurais de diversos municípios.


Comente um pouco sobre o seu álbum novo “Cantos Rurais”.

Estou num momento especial lançando este álbum, todo autoral, sobre minha vivência rural e o significado das cantigas na paisagem sonora do interior.


Tenho uma família musical que participa das minhas apresentações autorais: minha filha, Iraty, o seu companheiro Pedro Duarte e sua filha Elis Boelsums.


Na capa do álbum há um desenho em preto e branco de Tuca atrás de uma janela.
Capa do novo álbum "Cantos Rurais". Créditos: arquivo pessoal

Há algum caso curioso ou engraçado que aconteceu com você durante a sua trajetória musical e que gostaria de nos contar?

Participei de uma grupo que foi referência durante muitos anos na região. Fizemos dois discos independentes, mas depois nos separamos e nunca mais tocamos juntos. Isso há 40 anos…


Um pouco antes da pandemia, eu e um outro integrante resolvemos fazer uma apresentação cantando os antigos sucessos e dividimos o palco com a dupla Sá e Guarabyra. Durante o show tinha uma mesa eufórica na frente do palco, gritando, aplaudindo, etc.


Quando a apresentação acabou, a família veio até a gente pedindo para bater foto, autografar... Pensei: “Que loucura! Quarenta anos depois ainda fazendo sucesso”. Então, um senhor dessa família veio até mim e perguntou: “Afinal, você é o Sá ou o Guarabyra?”.


Como você se sente ao realizar sua arte?

Todo o trabalho é muito gratificante.


Acompanhe os trabalhos do artista pelo Instagram: @tucaboelsums

O Conto de todos os cantos sobre Entre Rios de Minas é patrocinado pela Vallourec via Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Entre Rios e Lei de Incentivo à Cultura.


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo