Conto de todos os cantos: Vander Oliveira


Vander é trancista, ativista, bailarine e estudante de Filosofia na UFSJ. Créditos: arquivo pessoal

Natural de Entre Rios de Minas/MG, Vander Oliveira é dançarine, trancista e ativista do movimento negro na cidade e em São João del-Rei, onde cursa Filosofia na Universidade Federal (UFSJ).


Reconhecide pelas bandeiras que defende, enquanto pessoa negra, não-binárie e LGBTQIA+, Vander se tornou uma figura local importante, sendo convidade a participar de eventos na cidade. Além disso, também dá aulas de dança em seu tempo livre e possui um espaço em que realiza o trabalho de trançar cabelos afro.


Saiba mais sobre a atuação de Vander através da entrevista realizada pela arte-educadora do Projeto Arte Por Toda Parte Entre Rios, Elis Ferreira. Leia abaixo!



Qual atividade cultural você realiza e há quanto tempo?

Sou dançarino, dou aula de dança no meu tempo livre. Não exerço uma atividade cultural muito ativa em Entre Rios, mas sim em São João del-Rei, onde estudo e faço parte do movimento negro através da faculdade.


Ver que as pessoas me respeitam e me procuram pelo que eu faço e pelo que eu sou é muito gratificante.

Como você começou nesta atividade?

Sempre gostei muito de dançar e me envolver com questões políticas e raciais. Então, em 2018, quando entrei na faculdade e vi que poderia unir estes meus talentos, comecei a levar o conhecimento que eu tinha para as pessoas que conviviam comigo e passei a participar mais ativamente das atividades culturais da minha cidade.


Em novembro de 2020, fui considerado como representante negro em Entre Rios por conta do meu trabalho como tracista e do meu ativismo na causa. E em 2021 fui convidada para participar do festival Mutirão Cultural da cidade, em que fiz parte do balé e ministrei um minicurso sobre cabelo e estética negra. A partir disso, comecei a ser mais reconhecida e mais chamada para participar de eventos culturais como referência.


Tranças feitas por Vander. Créditos: Reprodução/@afr0ntar

Há alguma curiosidade ou fato marcante na sua trajetória que gostaria de compartilhar?

A minha participação no Mutirão Cultural foi uma experiência surreal porque foi a primeira vez que o tema diversidade foi abordado na cidade abertamente. Tivemos apresentações de drags, de mulheres trans e cantores LGBT.


Me senti lisonjeada quando fui chamada para este evento, ainda mais quando me disseram que muitas pessoas haviam me indicado! Foram 2 semanas de muito trabalho e ensaios, mas que valeram super a pena. Depois deste evento, passei a ter mais voz em Entre Rios.


Como você se sente ao realizar sua arte?

Me sinto realizada e importante. Ver que as pessoas me respeitam e me procuram pelo que eu faço e pelo que eu sou é muito gratificante.


Acompanhe Vander através do Instagram em: @afr0ntar e @jupptter

O Conto de todos os cantos sobre Entre Rios de Minas é patrocinado pela Vallourec via Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Entre Rios e Lei de Incentivo à Cultura.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo