Conto de todos os cantos: Reisla Alves


Reisla com materiais de pintura em seu ateliê.
Reisla em seu ateliê. Créditos: arquivo pessoal

Quando o assunto são peças de decoração, a artesã Reisla Alves faz de tudo um pouco. Atuante na profissão há dois anos, a moradora do distrito de Catauá, em Lagoa Dourada/MG, realiza trabalhos com os mais diversos materiais, como garrafas reutilizadas, tecidos, madeira, pedras… A lista é grande!


Formada em Ciências Contábeis e após atuar na área por muitos anos, a belorizontina resolveu se dedicar àquilo que sempre gostou de fazer: “criar, colorir e fazer coisas alegres”. Tendo isso em mente, saiu da capital mineira e foi viver em uma área rural, onde se dedica à confecção de artesanatos.


Abaixo é possível conferir a entrevista feita pela atriz e educadora Elis Ferreira com a artesã. Siga a leitura para conhecer mais sobre Reisla e suas criações!



Como você começou a trabalhar com artesanato?

Comecei fazendo peças e pinturas em telhas, latas, garrafas e tecidos. Com o tempo, fui me aperfeiçoando por meio de cursos presenciais, como oficinas, workshops e cursos específicos de arte.


Um fato marcante foi a minha mudança de vida!

Há alguma curiosidade ou fato marcante na sua trajetória?

Nasci e morei em Belo Horizonte por muito tempo, em busca de ser alguém na vida e de conquistar realizações materiais.


Me graduei em 2004 em Ciências Contábeis, trabalhei na área financeira, mas não me sentia completa. Sempre gostei de artes, de criar, de colorir, de fazer coisas alegres. Mas nunca tinha essa oportunidade justamente por morar em uma cidade grande, onde precisamos de dinheiro para sobreviver. E eu não conseguia conciliar isso.


Até tinha uma situação financeira boa, mas vi que isso não é nada na vida e que tudo passa. Então, me divorciei e, depois disso, comecei a viver coisas que antes eu não podia: curtir a natureza, aproveitar a vida de uma forma simples... Foi, então, que conheci o meu companheiro atual e ele me apoiou em tudo que eu sempre quis fazer.


Decidi me desligar da empresa depois de alguns anos que a gente tava junto, ele me convidou pra morar no sítio e eu vim! A partir daí, consegui colocar em prática o meu desejo de fazer arte e poder divulgar isso. Financeiramente, meus ganhos são bem menores, mas aqui eu sou muito mais feliz e não me falta nada.


Como você se sente ao realizar sua arte?

Gostaria de ter um retorno financeiro melhor com meu trabalho, mas me sinto livre e feliz!


Para acompanhar os trabalhos da artesã Reisla Alves, siga o seu perfil no Instagram: @ateliereislaalves

O Conto de todos os cantos sobre Entre Rios de Minas é patrocinado pela Vallourec via Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Entre Rios e Lei de Incentivo à Cultura.

46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo