Conto de todos os cantos: Natalia França


Natalia França ama a sua cidade e o trabalho que exerce. Créditos: arquivo pessoal

Agente cultural de Entre Rios de Minas/MG, Natalia França é natural da cidade e moradora do bairro Santa Efigênia. Atuante nas áreas de cultura e turismo há aproximadamente cinco anos, começou no ramo despretensiosamente.


Encantada pelo trabalho que realiza, ela afirma se emocionar com os festivais dos quais participa e organiza. Além disso, atualmente, divide seu tempo entre Belo Horizonte e Entre Rios, onde trabalha e estuda.


Confira abaixo a entrevista feita pela arte-educadora Elis Ferreira com Natalia e conheça a sua relação com o âmbito artístico-turístico. Leia a seguir!


Caminhada em que Natalia foi organizadora. Créditos: arquivo pessoal

Como você começou a trabalhar nos meios turístico e cultural?

Acho que minha primeira experiência com os bastidores da arte e da cultura foi através dos festivais de inverno que eram realizados pelo Instituto Maria Helena Andrés.


Todo ano eu estava lá, participando das oficinas e acompanhando a programação. Até que nas últimas edições eu tive a oportunidade de participar dos bastidores como monitora nas oficinas, e aquela experiência foi inesquecível pra mim. Venho de uma família e de um bairro muito simples, e o Instituto dava essa oportunidade de inserção da arte no nosso cotidiano.


Alguns anos depois, me graduei em Turismo — uma área afim com a cultura —, comecei a participar dos Conselhos Municipais de Cultura e de Turismo em Entre Rios. Na sequência, comecei a trabalhar na Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, onde estive por quatro anos, até o início de 2021.


No momento, atuo na Secretaria Estadual de Cultura e Turismo de Minas Gerais (SECULT).


Há algum fato marcante na sua trajetória que gostaria de compartilhar?

Teve muitos trabalhos que me marcaram muito. Mas um que tenho muito orgulho de ter participado foi o Mutirão Cultural, o festival de inverno de Entre Rios, que eu participava anos atrás. Me enche o coração saber que a juventude do meu bairro e que os meus conterrâneos poderão vivenciar essa imersão nas artes e na cultura. Todos os anos esse evento me emociona!


Sou apaixonada por Minas Gerais e pela minha terrinha.

E alguma história curiosa ou engraçada?

Olha, se tem um campo também onde os imprevistos acontecem, é o da cultura e do turismo. Aconteceu uma situação engraçada quando eu trabalhava na Secretaria de Entre Rios e estávamos promovendo um passeio para uma trilha de mata fechada, na Serra do Gambá (trilha das caixas d’água).


Já no começo da trilha, começou a chover muito, mas nós nos mantivemos confiantes e seguimos. Chegamos ao topo da Serra molhados, famintos e doidos para ir para a van, que nos aguardava para retornar para a casa. Só que a van não estava lá. Ela não andou grande parte do trajeto por conta do barro. Então, tivemos de voltar mais um trecho a pé.


No final, chegamos na van molhados, famintos e agora, sujos de barro. (risos) Para fechar o nosso dia, quando começamos a retornar para cidade, a van atolou. Tivemos que ficar lá um tempão aguardando para ser rebocados... Esse dia foi um sufoco atrás do outro, mas graças a Deus a turma tinha um bom humor!


Como você se sente ao realizar o seu trabalho?

Fico feliz em compartilhar um pouquinho desse lugar que amo e de levar o acesso à arte e à cultura, através de trabalhos tão incríveis para diferentes pessoas, principalmente para as minorias.


Acompanhe o trabalho de Natalia e de outras figuras importantes de Entre Rios de Minas no Instagram descubraentrerios.

O Conto de todos os cantos sobre Entre Rios de Minas é patrocinado pela Vallourec via Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Entre Rios e Lei de Incentivo à Cultura.


57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo