Conto de todos os cantos: Nardir Urzedo


Nadir está sentada e pinta um quadro com imagens de galos.
Nardir ama dedicar seu tempo à pintura a óleo sobre tela. Créditos: arquivo pessoal

Natural de Acaiaca/MG, a artista plástica Nardir Urzedo se dedica às pinturas em óleo sobre tela no município de Jeceaba. Grande admiradora das artes desde pequena, só pode se dedicar definitivamente à área depois de aposentada.


Apesar de passar a maior parte do tempo na cidade onde vive, Nardir afirma que pode viajar através das telas que pinta. Segundo ela, é possível notar a sua alegria e apreço pelo ofício nas figuras e paisagens que pinta.


Confira abaixo a entrevista completa realizada pelos arte-educadores do Projeto Arte Por Toda Parte Jeceaba: Ana Malta, Priscila Mathilde e Gustavo Rosário. Leia a seguir!



Conte um pouco sobre a sua história como artista plástica.

Trabalhei por muito tempo na área da educação em diferentes cargos, mas eles não tinham relação com a arte. Mas, desde criança, tenho uma ligação muito forte com as artes.


Com o tempo, fui melhorando e buscando adquirir conhecimento. Isso porque antes eu pintava, mas não tinha técnicas. Então, tive duas professoras que me deram aulas por muito tempo, em Conselheiro Lafaiete/MG. Estive com elas até sentir que podia andar com as minhas próprias pernas!


Só depois que me aposentei, pude me dedicar totalmente à arte. Depois de fazer o curso, dei aulas para crianças, adolescentes e adultos de Jeceaba. Antes da pandemia, cheguei a ter vários alunos: quem chegasse na minha casa podia fazer parte.


Moro em Jeceaba, mas consigo viajar para vários lugares através da pintura.

Qual o tipo de técnica mais utilizado pela senhora?

Trabalho com óleo sobre tela. Normalmente, tenho em mente aquilo que vou transmitir para a tela, ou seja, o que retrato é o que sinto no momento. E, como pinto com muito amor e dedicação, minhas pinturas são muito alegres.


Além disso, para quem tem depressão ou estresse, essa técnica ajuda muito porque, quando a gente está pintando, viaja no processo. Por exemplo, quando estou pintando uma paisagem, me sinto dentro dela!


Obra produzida por Nardir Urzedo. Créditos: arquivo pessoal

Como era o primeiro quadro que pintou?

Foi uma paisagem que fiz no ano de 2005, em Conselheiro Lafaiete. Tenho ele até hoje, não vendo de jeito nenhum. Para mim, ele é sagrado!


Como se sente ao pintar quadros? E quanto tempo leva para finalizá-los?

Eu amo tanto que dá vontade de pintar sem parar! E sobre o tempo, depende do quadro. Por exemplo, um grande com muitos detalhes leva uns cerca de oito dias para estar pronto, considerando que eu me dedicaria totalmente a isso.


Tem algum caso engraçado relacionado à sua admiração pela arte?

Quando eu era criança, gostava muito de desenhar e pintar. Para mim, aquilo era tudo. Um dia, dentro da sala de aula, enquanto um professor ensinava, eu estava desenhando — como sempre, totalmente aérea.


Então, em um dado momento ele me perguntou o que estava escrito no quadro e eu respondi: “Hum”. Nisso, ele me deu os parabéns e falou que eu tinha acertado a resposta, que era “1”. Fui aplaudida, mas não tinha acertado coisa nenhuma! Isso ficou muito marcado para mim.


A arte é desafiadora: é preciso ter persistência.

Nardir em frente à uma de suas obras. Créditos: arquivo pessoal

A senhora tem apoio da sua família?

Minhas filhas me apoiam e gostam muito das minhas pinturas.


Há algo que sonhe em fazer devido a sua arte?

Sonho em fazer uma exposição muito bonita e cheia de quadros em um lugar chique, como uma câmara ou um hotel bem chique. E espero que quando a pandemia acabar, possa voltar a dar minhas aulas. Gosto de ensinar o que eu sei para que quando eu for embora deste mundo, deixe as pessoas pintando e seguindo o caminho da arte…


É importante ter dom para entrar no mundo da arte?

O dom conta apenas 20% — só ele não adianta —, os outros 80% são esforço, garra e luta. Digo que todos sabem pintar, basta ter esforço.


Tem interesse em fazer encomendas dos quadros de Nardir? Entre em contato com a artista plástica através das redes sociais: Instagram e Facebook.

O Conto de todos os cantos sobre Jeceaba é patrocinado pela Vallourec via Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Jeceaba (CDMCA).


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo